Archive for fevereiro \23\UTC 2010

Só muda de endereço

fevereiro 23, 2010

Mundos modernos que demonstram sentimentos eternos e atemporais:

Nhac Nhac

Entrou a família no elevador que eu estava impaciente esperando chegar no andar do trabalho. Mãe. Pai. Pequenino e simpático filho.

O Elevador subiu um andar e o pequenino ficou em desespero, agarrou a perna da mãe. (Claro, o chão tá tremendo, poxa!) Ao que a mãe disse:

– Você não vai cair, filho!

Eis que ele confiou na palavra da mãe e pareceu um pouco mais calmo. Suas sobrancelhas desarquearam e quase ficou tranqüilo. (é, com trema, eu sou oldschool.) Bobagem. O elevador recomeçou a subir e ele desesperadamente fez “ahmmnhamnhamnhammm” e levantou os bracinhos magros para a mãe, com os olhos arregalados e lábio inferior tremendo.

A mãe o pegou no colo, e o chão continuava a tremer da mesma forma, subindo muitos andares, mas foi imediato. O colo da mãe o fez acalmar os olhos e o espírito, e depois de 3 segundos estava sorrindo com a sensação de friozinho na barriga. Saiu do elevador nos braços da mãe, olhando pra dentro do elevador. Sorriu e me deu um aceno com a mão, um tchauzinho simpático. O pai foi atrás, nem percebeu o que acontecera.

Nem me venha com abrigos nucleares… o lugar mais seguro do mundo é o colo da mamãe. Sem argumentos contra isso. Fim.

Que coisa, não?

fevereiro 23, 2010

-Buh

– Assustou? hihihih

– Que coisa, pensei que nunca mais ia te ver!!

– Pois é, a vida sempre surpreende!

=D

Já aconteceu isso com você? Creio que já. Alguém importante passa pela nossa vida e nunca sabemos se ela fica ou se vai.. Há aqueles que falam “a pessoa fica se você permitir”, mas somente na memória, por que fisicamente depende do outro. E o que devemos fazer? Não deixar ninguém passar? Ou deixar e esperar voltar?

É o destino, coincidência, Deus, Shiva, Alá?

Não sei… só sei que neste momento tem uma pessoa aqui na Curingópolis, e eu gostaria muito que ela permanecesse de alguma forma!

😉

Olhai os capim-gordura do campo

fevereiro 18, 2010

Como já foi escrito muito antes de mim, os lírios do campo nascem sem que ninguém os plante… e não se preocupam com nada, não trabalham nem tecem, mas são belamente vestidos.

Sempre que os vejo penso nisso. É automático, sem esforço lembro disso. Dessa vez percebi que minha única preocupação é não ser como os capim-gordura na beira da estrada, que se movem de um lado para o outro com o jogo do vento, mas na verdade nunca saem do lugar… só veem a vida passar à sua frente, sendo apenas espectadores. E isso é papel apenas dos capim-gordura, o nosso é atuar, para que possam ter o que assistir os lírios do campo.

Tome um banho de chuva…

fevereiro 10, 2010

Às vezes acontecem coisas na nossa vida meio que inexplicáveis. Quando vc pensa muito numa pessoa, e de repente ela te liga, ou aparece do nada na sua frente, manda uma mensagem, um email… às vezes nos damos conta de que não queríamos estar no lugar onde nos encontramos, com as pessoas que não queremos, fazendo coisas que não gostamos. Às vezes queremos sair correndo, gritar, pular, tomar banho de chuva, abraçar um desconhecido, mas somos impedidos de fazer algumas coisas por algo inexplicável!

O que seria isso? Medo do que os outros vão falar a nosso respeito? Medo da sociedade, das regras que nos regem, dos preconceitos?

Acho que viver mais na “inconsequência responsável” seria o melhor para todos. Não haveria tantas pessoas frustradas por não ter vivido um grande amor, pessoas estressadas por não trabalharem no que gosta, pessoas arrogantes com a vida, pois esperava mais dela, e outras inúmeras coisas que  vivenciamos ao longo da vida.

Se quer casar, case. Quer ter um filho, tenha. Quer viajar para algum lugar, não interessa onde, vai. Não agüenta mais seu emprego, peça demissão. Fazer o que temos vontade deve sair da demagogia das palavras e se tornarem reais em nossas ações, afinal, estamos aqui de passagem, independente no que você acredite, da forma que em que você se encontra hoje, não será a próxima de amanhã…

😀

Curingueie sobre isso: Não há acertos sem erros, e nem glórias sem fracassos.

shuuuuuuuaaaaaaaaa

Com “S” tudo é mais gostoso…

fevereiro 8, 2010

Sabe pra quê estamos aqui? Estamos aqui para conhecer pessoas que valham a pena, os Amigos. São eles que nos dão força quando precisamos, que nos ajudam a levantar quando caímos, que sai do jeito que ta pra tomar uma cerveja, fica na rindo até tarde, e depois vai trabalhar no outro dia pela manhã. Que ri da sua piada mais tosca, que fala dos medos e incertezas da vida. Que chora, que briga, que fica com raiva. Que te escolhe pelo que é, com as qualidades e defeitos. Que fica longe, e nunca esquece. Que sente saudades. Que deseja o bem. Que divide livros, ideias, opiniões, gostos e desgostos!!
Acho que todos têm um amigo assim, que simplesmente está ali, com você, sempre! E que nem sempre sabemos agradecer de uma forma clara. Pq com “S”, amigo vira, Amigosss
😉
Então, amigos, unam-se! Seja pra tomar uma cervejinha, jogar um papinho fora, ou chorar por um filme melancólico!

“Os amigos têm tudo em comum, e a amizade é a igualdade”
Pitágoras

=D

Should I stay or should I go?

fevereiro 8, 2010

1, 2, 3!

-Vem, pula!
-Mas onde a gente vai cair?
– ; ) (piscadinha)
-Mas… mas… mas….
-Vem!

Pularam.

Cumplicidade é pular sem saber direito onde vai cair… é confiar no “Vem comigo!” e ir, sem saber pra onde e nem como chegar!
Porque nessa hora, confiar é o único verbo confiável.
Afinal, alguém que é capaz de fazer qualquer coisa baseado  só num sorriso largo na cara do amigo e uma piscadinha simpática, merece todo meu respeito… pois é esse que aprendeu o que realmente tem importância!

E no fundo… não importa quantos amigos você tem, mas pra quantas pessoas você foi/é um amigo!

Yupiii!

Azul da cor do maaar!

fevereiro 5, 2010

Muitas coisas influenciam o dia-a-dia. Claro que grandes acontecimentos tem enorme peso, mas pelo menos quanto a essa criatura que vos escreve, são os menores e mais simples que tem mais significado.

Um deles é a cor do céu. Não sei como é na cidade em que cada um mora, mas aqui na minha Curingópolis, o céu é sempre bonito!

Sair de casa cedo com o céu azul torna a parte de sair de casa cedo bem melhor! Talvez como a Dona Morte em um certo livro, a cor do céu é determinante no meu humor. Isso não quer dizer que quando chova todo mundo fique triste. (Até pq se fosse, SP nesse momento seria a cidade mais depressiva do Brasil, hehehe).

Trabalhar olhando pro céu azul me faz bem mais feliz do que trabalhar com as persianas fechadas! Me sinto numa tumba-de-trabalho. Mas como hj não é o dia, somente bons pensamentos perambulam minhas alegre mente \o/

Céus felizes pra vcs tbm! 😉

Apesaarrr de vocêeee…

fevereiro 4, 2010

Hoje estava cá no meu canto, pensativa, vendo minha vida passar quando decidi ligar o rádio e ouvir uma música. Ma que merrrda foi que eu fiz? Primeiro estava tocando Single Lady, da super-hiper-mega-popstar Beyoncé, que chegou ao Brasil hoje (dia 4) para algumas apresentações. Tipo, não é nada contra ela, nem com a música dela, mas é que enche o saco essa homogeneidade musical na qual vivemos. Tem 20 estações de rádio, as 20 tocam as mesmas músicas, em ordem diferentes. Outro dia tava ouvindo a Jovem Pan, e tinha acabado, veja bem, acabado de tocar I’m Yours, Jason Mraz, e a menina ligou lá e pediu a mesma música!!

Hare baba!
=/
Na boa, tudo que é demais, enche o saco. Se eu quero ouvir Lenine, Nando, Cássia, Bruna Caran, Maria Rita, ou qualquer coisa do gênero, tenho que baixar ouuuuu ouvir Nova Brasil Fm!!hehehehe
Sei que gosto é gosto, mas acho que já está na hora de começarmos a diversificar-los! E aí, o que você acha?

Curingando!

fevereiro 4, 2010

Olá e-mundo!

Esse espaço foi criado para que coloquemos nossos pensamentos, idéias, observações, piadas e o que mais tivermos vontade.

Mais do que agradar, queremos gerar assuntos que deem pano pra manga, então conta pra gente o que você acha que cada coisa!

Ah sim, quem somos nós?
Somos pessoas (será?) tentando fervilhar os miolos e usar a cabeça pra além de escorar chapéus. Apenas criaturas querendo ser curingas no meio de tantos números e naipes. 😉

Bem-vindo!